Email: geral@afp.com.pt Tel: 222 089 160 *

Logo Ordem dos Farmaceuticos

Ordem assegura qualificação dos farmacêuticos para prestação de novos serviços nas farmácias – Notícias

A bastonária vincou que alguns serviços previstos no diploma são já disponibilizados em muitas farmácias. Ficam agora com um enquadramento legal que reconhece o seu importante contributo para o sistema de saúde e, muito especialmente, para os doentes.

Para a responsável da OF, serviços de reconciliação da terapêutica ou de preparação individualizada de medicamentos devem ser implementados em estreita articulação com os médicos, que devem ter oportunidade para os conhecer, perceber as vantagens para os seus doentes e até prescreve-los.

Ana Paula Martins assegurou o empenho da OF na qualificação dos farmacêuticos comunitários para a prestação destes serviços, lembrando que a profissão foi pioneira em Portugal na implementação de um sistema de desenvolvimento profissional contínuo que garante a atualização permanente de conhecimentos destes profissionais.

A Ordem tem estado também a desenvolver um programa de formação nas áreas abrangidas por esta Portaria, além de um conjunto de normativos técnicos e protocolos de intervenção para prestação de alguns destes serviços, num trabalho conjunto com os Colégios de Especialidade e Grupos Profissionais da OF.

No caso específico dos testes rápidos para o rastreio de infeções por VIH, VHB e VHC (testes ‘point of care’), que serão disponibilizados tanto em farmácias como nos laboratórios de análises clínicas, a bastonária explicou que as entidades oficiais – Infarmed, DGS e ACSS – estão a produzir orientações e procedimentos, num trabalho coordenado com o INSA, os SPMS, as Ordens dos Farmacêuticos e Médicos e as associações setoriais, com base no qual também a OF organizará formação complementar dirigida a farmacêuticos comunitários e analistas clínicos. Ana Paula Martins estimou que este processo possa estar concluído até ao verão.

A Portaria que aprova os novos serviços farmacêuticos em farmácias comunitárias refere-se ainda aos programas de adesão à terapêutica e de educação sobre a utilização de dispositivos médicos, mas também consultas de nutrição e serviços simples de enfermagem, no âmbito dos quais tem sido desenvolvida uma importante colaboração com as respetivas Ordens profissionais.

No final da visita, a secretária de Estado destacou a relação de proximidade das farmácias com a população e aproveitamento da rede de farmácias para prestação de novos serviços de saúde que satisfazem necessidades expressas pelos portugueses.

Link da fonte

Scroll to Top