Email: geral@afp.com.pt Tel: 222 089 160 *

Estudo sobre o impacto no acesso à prestação de cuidados de saúde – SPMS

Durante a pandemia da COVID-19, a Linha SNS 24 deu resposta a um aumento significativo de chamadas e procura pelos serviços de triagem clínica e encaminhamento dos utentes para unidades de saúde adequadas. Neste contexto, a Entidade Reguladora da Saúde (ERS) realizou uma análise à eficiência dos encaminhamentos realizados e à articulação da Linha com as entidades prestadoras de cuidados do SNS, entre 2019 e 2022.

A Linha SNS 24 teve um papel fundamental na estratégia nacional de combate à COVID-19 por rapidamente ter conseguido adaptar-se e aumentar os recursos tecnológicos e formação dos profissionais. Das chamadas recebidas no período em análise, 76% dos casos foram aconselhados a autocuidados e 23% resultaram em encaminhamentos para unidades prestadoras de cuidados de saúde, como os Cuidados de Saúde Primários (CSP).

Dos encaminhamentos para unidades de CSP, 58% dos utentes tiveram uma consulta até 72 horas após o seu encaminhamento, com 49% admitidos até 24 horas após o contacto com a Linha SNS 24, cumprindo assim o tempo máximo de resposta, garantido para atendimento por motivo relacionado com doença aguda.

Por outro lado, 42% dos utentes não obtiveram consulta dentro desse prazo e, por isso, o encaminhamento de utentes para unidades de cuidados de saúde primários sem capacidade de atendimento foi uma preocupação destacada no estudo da ERS.

Em relação aos encaminhamentos para as unidades hospitalares, destaca-se a mais-valia do encaminhamento pela Linha por possibilitar prioridade de atendimento e total isenção de taxas moderadoras aos utentes.

Nestes encaminhamentos, 61% dos utentes referenciados fizeram admissão no serviço de urgência. Entre os utentes admitidos, 47% foram classificados como pouco urgentes (pulseira verde), e 1% como não urgentes (pulseira azul). Destes, 7% acabaram por abandonar o estabelecimento de saúde, e 2% resultaram em internamento hospitalar.

Através do estudo da ERS, foi possível destacar a importância da linha SNS 24 no período de pandemia, mas também realçar a necessidade de melhoria de coordenação e comunicação entre todas as entidades prestadoras de cuidados, desde a linha SNS 24 às unidades de saúde. Com efeito, a superação destes aspetos é fundamental para maximizar o potencial de eficiência da linha SNS 24 no sistema de saúde.

Para mais informações, é possível aceder à versão integral do estudo realizado pela ERS: https://www.ers.pt/media/vtxhgxkb/estudo-sns-24-04-04-2024.pdf .

Link da fonte

Scroll to Top