Email: geral@afp.com.pt Tel: 222 089 160 *

EMA apoia desenvolvimento de medicamentos prioritários – Notícias


A Agência Europeia do Medicamento (EMA) lançou um programa intitulado PRIME (PRIority MEDicines) para apoiar o desenvolvimento de novos fármacos e acelerar o seu processo de introdução no mercado.

A Agência Europeia do Medicamento (EMA) lançou um programa intitulado PRIME (PRIority MEDicines) para apoiar o desenvolvimento de novos fármacos e acelerar o seu processo de introdução no mercado. A iniciativa abrange medicamentos que respondam a necessidades em saúde específicas, que ofereçam vantagens terapêuticas em relação aos tratamentos existentes ou que beneficiem os doentes sem outras opções terapêuticas.
    
O programa prevê um apoio científico reforçado dos peritos da agência às empresas e centro de investigação que estejam a trabalhar no desenvolvimento de novos medicamentos, desde logo no desenho dos ensaios clínicos, de modo a que a dados aí resultantes permitam uma avaliação mais célere dos pedidos de autorização de comercialização.

“O lançamento do PRIME é um passo importante para os doentes e as suas famílias, que há muito aguardam por um acesso mais rápido a tratamentos seguros para suas necessidades médicas não satisfeitas, tais como cancros raros, a doença de Alzheimer e outras demências”, destacou o Comissário da União Europeia (UE) para a Saúde e Segurança dos Alimentos, Vytenis Andriukaitis, em comunicado divulgado pela EMA.

“O nosso objetivo é promover uma melhor planificação no desenvolvimento de medicamentos para ajudar as empresas a gerar os dados de alta qualidade que precisamos para avaliar a qualidade, segurança e eficácia dos medicamentos”, acrescentou o director executivo da EMA, Guido Rasi.

O programa tem por base o quadro regulamentar e as ferramentas actualmente já disponíveis, estimando-se que os medicamentos abrangidos pelo programa possam beneficiar de uma avaliação acelerada no momento em que requerem a introdução no mercado.

“Queremos garantir que os avanços científicos chegam aos doentes mais rápido”, explica o presidente do Comité dos Medicamentos para Uso Humano, Tomas Salmonson. “Ao fortalecer a colaboração entre os comités científicos, e ao promover a partilha de informação sobre o medicamento durante a sua fase de desenvolvimento, vamos não só acelerar o acesso dos doentes, mas também assegurar uma utilização de recursos disponíveis mais eficiente”, acrescentou.

Clique aqui para mais informações sobre o programa PRIME.

Link da fonte

Scroll to Top