Email: geral@afp.com.pt Tel: 222 089 160 *

ECDC alerta para propagação de mosquitos transmissores de doenças – Notícias


O Centro Europeu para a Prevenção e Controlo de Doenças (ECDC) alertou hoje para o aumento do risco de doenças transmitidas por mosquitos na Europa, na sequência da propagação da espécie Aedes albopictus, vetor responsável pela transmissão de doenças como a dengue, febre amarela, zika, vírus do Nilo e chikungunya.

“A Europa está a registar uma tendência de aquecimento, com ondas de calor e inundações mais frequentes e gravosas, e os verões estão a tornar-se mais longos e quentes. Isto cria condições mais favoráveis para espécies de mosquitos invasoras, como Aedes albopictus e Aedes aegypti”, realça o ECDC.

Há dez anos, o mosquito estava presente em oito países europeus, com 114 regiões afetadas. Hoje, está estabelecido em 13 países e 337 regiões. No ano passado, foram reportados 1.133 casos e 92 mortes por infeção com o vírus do Nilo Ocidental em humanos. Segundo o ECDC, a grande maioria destes casos provêm de 11 países, naquele que é o registo mais elevado desde 2018.

Portugal não consta da lista de casos reportados no ano passado, ao invés de países como a Itália (723), Grécia (286), Roménia (47) Alemanha (16), Hungria (14), Croácia (8), Áustria (6), França (6), Espanha (4), Eslováquia (1) e Bulgária (1). No ano passado, registaram-se 71 casos de dengue por contágio local, 65 dos quais em França e seis em Espanha, o que equivale ao mesmo número total de casos registados na Europa em 2020 e 2021.

“Nos últimos anos assistimos a uma propagação geográfica de espécies de mosquitos invasoras para zonas da Europa que não tinham sido afetadas”, explicou a diretora do ECDC, Andrea Ammon. “Se assim continuar, podemos esperar mais casos e, possivelmente, mortes por doenças como a dengue, a chikungunya e a febre do Nilo Ocidental. Os esforços devem centrar-se nas formas de controlar as populações de mosquitos, reforçando a vigilância e aplicando medidas de proteção individual”, aconselha a responsável.

As medidas mais sustentáveis para controlar estas populações de mosquitos incluem a eliminação de fontes de água estagnada, onde os mosquitos se reproduzem, a utilização de larvicidas ecológicos e a consciencialização das comunidades.

Entre as medidas de proteção individual, estão o uso de redes mosquiteiras, repelentes e roupas que cobrem a maior parte do corpo.

Clique para aceder ao comunicado do ECDC.

Link da fonte

Scroll to Top