Email: geral@afp.com.pt Tel: 222 089 160 *

Logo Ordem dos Farmaceuticos

Conselho europeu recomenda reforço da cooperação contra a doenças evitáveis ​​por vacinação – Notícias


No passado dia 7 de dezembro, os Ministros da Saúde da União Europeia (UE) adotaram a Recomendação do Conselho sobre o reforço da cooperação contra as doenças evitáveis por vacinação, centrada em três pilares principais: combater a hesitação das vacinas e melhorar a cobertura das vacinas; políticas de vacinação sustentáveis na UE; e coordenação e contribuição da UE para a saúde global.

A recomendação insiste na
divulgação orientada para grupos vulneráveis, apelos para reforçar a formação
em vacinação nos currículos de medicina, e explora as sinergias com a saúde em
linha com as tecnologias digitais para estabelecer registos de vacinação
electrónica para todos os cidadãos da UE.

Vytenis Andriukaitis, Comissário da
Saúde e Segurança Alimentar, disse: “Saúdo com sinceridade a adoção da
Recomendação e apelo a todos os Estados Membros para implementarem as ações
acordadas. Os Estados Membros podem contar com o meu total apoio e espero poder
contar com o deles. Continuarei a ser um defensor incansável das vacinas que
salvam vidas e a trabalhar em conjunto com todos os Estados-Membros e
intervenientes para manter a vacinação no topo das agendas europeias e mundiais
de saúde. No próximo ano, lançarei uma Aliança sobre a Vacinação e a Comissão
organizará uma Cimeira sobre Vacinação, sob a liderança da UE, para alavancar
esforços genuínos e estratégicos nesta área.
Além disso, a Comissão irá criar
um portal europeu de informação on-line sobre vacinação, para fornecer provas
objetivas, transparentes e atualizadas sobre os benefícios e a segurança das
vacinas.”

A Secretária Geral da Grupo Farmacêutico da União Europeia (PGEU), Ilaria Passarani, reagiu à recomendação referindo que “os farmacêuticos são um dos prestadores de cuidados de saúde mais acessíveis e devem ser totalmente integrados nas estratégias nacionais de vacinação. Os farmacêuticos comunitários identificam e lembram os grupos-alvo para vacinas, fornecem informações e aconselhamento e assumem um papel ativo em várias campanhas de conscientização nacionais e regionais. Eles também desempenham um papel de sucesso como pontos de acesso à vacinação num número crescente de países da UE ”.

“Até ao momento são administradas vacinas em farmácias comunitárias aos cidadãos de 11 países da UE, sendo que em 6 desses, a administração pode ser feita por farmacêuticos” relembra Ilaria Passarani.

Link da fonte

Scroll to Top