Email: geral@afp.com.pt Tel: 222 089 160 *

Competências para a força de trabalho em saúde do futuro – Notícias


A OCDE publicou o seu mais recente Working Paper sobre competências para a força de trabalho em saúde do futuro. O panorama da prestação de cuidados de saúde está a passar por uma transformação significativa, de uma perspetiva fragmentada e centrado nas doenças para um cuidado integrado e centrado nas pessoas.

Os profissionais de saúde encontram-se no centro desta
transformação, que exige deles mudanças proporcionais no conjunto competências
utilizadas na prática do dia a dia, entre outros desafios. O documento
identifica as competências transversais (essenciais) que se estão a tornar cada
vez mais essenciais para todos os profissionais de saúde da linha de frente,
para se traduzir em benefícios potenciais na prestação de cuidados de saúde
centrados nas pessoas, como melhores resultados para o utente e a população,
maior produtividade e maior retenção / satisfação no trabalho, combinados entre
os próprios trabalhadores. Estas competências transversais incluem competências
interpessoais, como comunicação centrada na pessoa, trabalho em equipa
interprofissional, autoconsciência e sensibilidade sociocultural, bem como
competências analíticas, como resolução adaptativa de problemas para conceber
cuidados personalizados para pessoas individuais, pensamento sistémico,
abertura para aprendizagem ao longo da vida e capacidade de usar tecnologias
digitais de forma eficaz. Reconhecer a necessidade de preparar profissionais de
saúde para enfrentar os desafios duplos de um local de trabalho de saúde
complexo, técnica e emocionalmente, é um pré-requisito para construir e manter
uma força de trabalho de saúde resiliente. Este documento também fornece uma
breve visão geral dos métodos e ferramentas de avaliação de competências que
podem ser usados ​​para avaliar a eficácia das políticas da força de trabalho
em saúde e sugere uma estratégia de avaliação de competências para avaliar o
impacto das reformas nas competências e no desempenho da força de trabalho em
saúde.

Link da fonte

Scroll to Top