Email: geral@afp.com.pt Tel: 222 089 160 *

Bastonário em visita ao Hospital Garcia de Orta – Notícias


O bastonário da Ordem dos Farmacêuticos (OF), Helder Mota Filipe, realizou esta terça-feira a sua primeira visita a uma farmácia hospitalar como representante dos farmacêuticos. Depois da Distribuição e da Indústria Farmacêutica, a visita aos Serviços Farmacêuticos do Hospital Garcia de Orta (HGO), em Almada, possibilitou o contacto próximo com quase duas dezenas de farmacêuticos hospitalares e perceber o real impacto da regulamentação da Carreira Farmacêutica e do recente ataque informático à unidade na atividade profissional destes farmacêuticos.

À chegada ao hospital para uma visita aos Serviços
Farmacêuticos, o responsável da OF, que esteve acompanhado pela presidente do
Conselho para a Qualificação e Admissão da OF, Paula Almeida, foi recebido pelo
diretor clínico, Nuno Marques, e pela vogal do Conselho de Administração, Vera Almeida. Depois de uma breve reunião com estes responsáveis, a comitiva
da OF deslocou-se aos Serviços Farmacêuticos, com a direção técnica a cargo de Armando Alcobia, para contactar com a equipa de farmacêuticos e conhecer as
atividades e projetos em curso.

A OF tem vindo a assinalar a falta de recursos humanos
farmacêuticos nos hospitais do Serviço Nacional de Saúde (SNS), situação que
esperava poder inverte-se com a publicação da Carreira Farmacêutica no SNS.
Atrasos sucessivos na sua regulamentação têm impedido a renovação do quadro
geracional de farmacêuticos a trabalhar nos hospitais portugueses. 

O bastonário assegurou, no entanto, o compromisso da OF em insistir com o Ministério da
Saúde para resolução de todas as injustiças provocadas pela regulamentação da
Carreira, distinguindo, contudo, as competências de uma Ordem profissional e de
um Sindicato, com áreas e matérias de intervenção distintas.

“Quero agora acreditar que estão reunidas as condições para
o SNS começar a receber farmacêuticos residentes e depois integrá-los numa
carreira que espera por eles há quase cinco anos”, considera o bastonário,
sublinhando a disponibilidade dos farmacêuticos do HGO para acolher, integrar e
formar farmacêuticos residentes.

Conduzido pelo diretor dos Serviços Farmacêuticos, o
bastonário percorreu as diferentes áreas da Farmácia Hospitalar, desde a
distribuição no ambulatório e às enfermarias, farmacocinética, ensaios
clínicos, preparação de estéreis, outras. Ao longo deste percurso, foram
recordadas as dificuldades provocadas pelo ataque informático ao HGO, no final
de abril.

Helder Mota Filipe enalteceu o esforço de toda a equipa do
HGO para ultrapassar mais este problema. “Tive oportunidade de me inteirar
quanto aos danos deste ataque e da forma como os profissionais reagiram com
muito empenho e muita proatividade para minorar o ataque, tentando recuperar
informação em tudo o que é local”, disse o dirigente da OF à imprensa, no final
da visita.

“Nenhum hospital está livre destes ataques e é importante
sublinhar a força e coragem com que reagiram a este ataque e criar uma
oportunidade de aprendizagem relativamente a estas situações que, infelizmente,
se poderão repetir”, acrescentou.

O bastonário sugeriu também que as soluções encontradas para
ultrapassar os problemas provocados por este ataque sejam
partilhadas com outros profissionais, e de outros hospitais, que possam vir a
ser alvo de ataques semelhantes.

Para o dirigente da OF, o acesso aos dados de saúde dos
utentes é fundamental para prestação de cuidados de forma segura. “Todos os
farmacêuticos que trabalham nas áreas assistenciais devem poder aceder aos
registos de saúde eletrónica dos seus utentes, mediante o seu consentimento, e
assim garantir a qualidade e a segurança dos cuidados que lhes são prestados”,
considera.

Link da fonte

Scroll to Top