Email: geral@afp.com.pt Tel: 222 089 160 *

As lições da pandemia para os farmacêuticos europeus – Notícias

O novo “positition paper” produzido pelo PGEU realça o papel dos farmacêuticos comunitários durante esta emergência de saúde pública, mas também o seu valor para os cidadãos e as lições que devem ser aprendidas com a pandemia.

“A ampla rede de farmácias comunitárias garantiu aos cidadãos o acesso contínuo a tratamentos e cuidados desde o primeiro dia da pandemia. Os farmacêuticos comunitários têm sido a primeira linha de aconselhamento, tratamento e referenciação para muitas pessoas na Europa sobre doenças comuns, evitando com sucesso visitas desnecessárias aos hospitais. Em muitos países europeus, os farmacêuticos também estiveram estruturalmente envolvidos nas estratégias de teste e vacinação contra o vírus influenza e a COVID-19, e estão prontos para expandir ainda mais a sua contribuição para os sistemas de saúde como parte de modelos de colaboração sustentáveis com outras profissões da saúde.”, pode ler-se no documento

O PGEU considera que o documento contribui para melhorar a preparação e a resposta dos sistemas de saúde aos desafios de saúde atuais e futuros. Apela, por isso, aos governos e decisores para que tornem os sistemas de saúde mais fortes, mais resilientes e mais responsivos às necessidades dos cidadãos, propondo quatro eixos fundamentais:

– Expandir o âmbito (legal) da prática da farmácia comunitária para maximizar a sua contribuição aos cidadãos e sistemas de saúde, garantindo a continuidade dos cuidados e tratamentos, aumentando a cobertura vacinal e oferecendo uma primeira linha acessível de aconselhamento, consulta, triagem, tratamento e encaminhamento para doenças comuns aos cidadãos;

– Reconhecer o valor dos serviços farmacêuticos que comprovaram melhorar a qualidade de vida das pessoas e a sustentabilidade dos sistemas de saúde, remunerando adequadamente os farmacêuticos comunitários pelos serviços que prestam;

– Definição de novos modelos de atendimento que envolvam e estimulem equipas multiprofissionais a trabalhar de forma integrada – com o suporte de tecnologia digital integrada – e que passem do atendimento centrado no hospital para o atendimento centrado no cidadão, tratando o doente o mais próximo possível de sua casa;

– Aumentar os investimentos nos cuidados de saúde primária, prevenção de doenças e serviços de saúde que promovam a boa saúde da população, bem como o uso otimizado de medicamentos.

Clique para consultar o documento emitido pelo PGEU.

“Position Paper on the Role of Community Pharmacists in COVID-19 – Lessons Learned from the Pandemic”

Link da fonte

Scroll to Top