AFP
Damos valor à sua farmácia.

Notícias

27 Mar

COVID-19: Quatro recomendações da AFP à população

Neste período desafiante, que exige a adoção de medidas excecionais e em que a Saúde sobressai como o valor mais precioso, a Associação de Farmácias de Portugal deixa um conjunto de recomendações e conselhos à população para terem em conta nas suas deslocações às suas farmácias, no atual contexto do surto COVID-19. Tudo pela saúde e segurança dos utentes. Tudo para que os farmacêuticos tenham condições para continuarem a prestar cuidados de saúde vitais e a dispensar medicamentos à população. Neste sentido, a AFP recomenda:

 

  • Para garantir que todos têm acesso aos seus medicamentos, a AFP apela aos cidadãos a utilização responsável do medicamento. Cada pessoa deverá adquirir apenas os medicamentos ajustados às suas necessidades, evitando a aquisição de medicamentos em volume superior ao necessário. O sentido de responsabilidade de todos os portugueses é, no atual contexto, fundamental para assegurar o normal abastecimento de medicamentos.

 

  • Os utentes que se encontrem inseridos nos grupos de risco de contraírem doença grave por COVID-19 – idosos e pessoas com doenças crónicas (doenças cardiovasculares, diabetes e doenças pulmonares) – deverão limitar o contacto social. Nesse sentido, e para limitar os riscos, estes utentes deverão preferencialmente pedir a um outro elemento da sua família ou do seu ciclo social que proceda à compra de bens essenciais, como os medicamentos. A AFP tem conhecimento que muitas Juntas de Freguesia estão a disponibilizar serviços de compra e entrega ao domicílio de bens essenciais para os cidadãos que se encontram nestes grupos de risco. Se está num grupo de risco, informe-se junto da sua Junta da Freguesia sobre a existência deste tipo de serviços.

 

  • As populações deverão seguir escrupulosamente as diretrizes da Direção-Geral da Saúde, cumprindo, em especial, as regras de etiqueta respiratória e higiene, bem como o distanciamento social. Os cidadãos deverão ter em conta estas mesmas recomendações sempre que se desloquem às farmácias, cumprindo o distanciamento social necessário enquanto aguardam a sua vez para serem atendidos.

 

  • Sabemos que as farmácias são, muitas vezes, o primeiro contacto dos cidadãos com o sistema de saúde. No entanto, se um cidadão tiver sintomas suspeitos de COVID-19 não deverá dirigir-se à farmácia. Em caso de febre, tosse ou falta de ar deverá ligar para a linha telefónica do SNS24 (808 24 24 24).

 

Neste período de vigência do Estado de Emergência, as farmácias comunitárias vão continuar a funcionar, cumprindo a sua missão de servir a comunidade. Pelo que não existem motivos de preocupação, uma vez que as farmácias estarão abertas e tudo farão ao seu alcance para continuarem a dispensar os medicamentos necessários, dentro da normalidade possível face ao contexto atual.